FONTEO PAÍS
Cidadãos angolanos detidos pelo SIC por forjarem documentos do gabinete da Primeira-Dama da República de Angola © O País

Supostos marginais conseguiram amealhar 14 milhões e 311 mil kwanzas por via de duas instituições, como o Banco Comercial Angolano (BCA) e a Empresa Nacional de Diamantes de Angola (Endiama), EP. Entre os acusados estão três funcionários do banco BIC, por terem auxiliado os visados no processo de levantamento da importância.

Pelo menos sete cidadãos angolanos foram detidos, recentemente, pelo Serviço de Investigação Criminal (SIC) por forjarem documentos do gabinete da Primeira-Dama da República de Angola, Ana Dias Lourenço, destinados a angariar apoios financeiros de forma fraudulenta, de instituições bancárias, alegadamente para compra de brinquedos, no âmbito das festividades do Dia da Criança Africana.

A revelação foi feita ontem, em Luanda, pelo comissário Amaro Neto, Director do Gabinete Central de Operações desta instituição, em conferência de imprensa.

Pelos factos acima revelados, no dia 4 de Junho, procedeu-se à abertura do processo-crime nº1103/18, no qual os suspeitos, cujas identidades não foram reveladas, estão a ser acusados dos crimes de burla por defraudação e falsificação de documentos e da assinatura da Primeira-Dama da República.

Com tais documentos, os supostos infractores solicitaram apoio financeiro a várias instituições bancárias e empresas públicas, invocando que se destinariam a apoiar uma actividade de beneficência para crianças carentes.

Julgando que a mesma era apadrinhada por Ana Dias Lourenço, o Banco Comercial Angolano (BCA) anuiu, transferindo cinco milhões e 830 mil kwanzas, no dia 30 de Maio, a uma conta bancária de uma empresa domiciliada no banco BIC, indicada pelos solicitantes.

Facebook Comments