FONTENovo Jornal
Campanha de vacinação contra a raiva é lançada hoje em Viana @DR

O número de mortes devido ao aumento de casos de mordedura de animais está a crescer em Luanda, onde as principais vítimas são menores de 15 anos, anunciaram hoje as autoridades que, sem avançar números, se manifestaram preocupadas.

Segundo o chefe do departamento dos Serviços Veterinários de Luanda, João Mendes, está prevista para 28 de Setembro uma campanha de vacinação antirrábica, prevendo-se vacinar, em dez dias, cerca de 30 mil animais.

“A situação da raiva na província de Luanda é preocupante, onde se estima existirem cerca de 300 mil animais. Há um elevado número de mordeduras, temos muitos casos de mordeduras e de óbitos. Mais graves são os óbitos. Estão a morrer pessoas vítimas de raiva, na sua maioria crianças menores de 15 anos”, disse.

Em declarações à imprensa, e com relatos de escassez em Luanda da vacina antirrábica para humanos, João Mendes defendeu a realização de uma campanha de vacinação, “num curto espaço de tempo”, para se conter ou controlar um “iminente surto da doença”.

De acordo com o chefe do departamento dos Serviços Veterinários de Luanda, nenhum município da capital do país está isento da raiva, com os municípios de Viana, Cacuaco, Talatona e Belas a continuarem a registar o maior número de casos.

Por isso, adiantou, decorrem já trabalhos conjuntos com as administrações dos nove municípios de Luanda para a concretização da campanha de vacinação antirrábica animal.

“Calcula-se que iremos vacinar cerca de 300 mil animais, pelo que, em Luanda, a responsabilidade é acrescida”, observou.

Neste momento, acrescentou, estão criadas as condições básicas para arrancar com a campanha de vacinação, “que não se resume apenas à existência da vacina”.

“Temos a vacina, mas existem outros pressupostos que temos de acautelar, como a logística, a mobilização de pessoal, a sensibilização das populações e, sobretudo, o envolvimento directo das administrações municipais”, concluiu.

Facebook Comments