FONTEExpansão
Agostinho Kapaia, presidente da CEEIA @DR

A CEEIA tem privilegiado a exportação de produtos a nível da Comunidade dos Países da África Austral, da Língua Oficial Portuguesa, Ásia e América, com destaque para a madeira, bebidas e alimentos.

O surgimento da Comunidade das Empresas Exportadoras e Internacionalizadas de Angola (CEEIA), em Outubro de 2013, proporcionou uma nova dinâmica às exportações das empresas do país.

A organização liderada por Agostinho Kapaia, que recentemente renovou o mandato de três anos, foi constituída inicialmente por 18 empresas, mas conta actualmente com mais de 40, tendo em vista a promoção das exportações.

A CEEIA tem privilegiado a exportações de produtos na Comunidade dos Países da África Austral, da CPLP, Ásia e América, com destaque para a madeira, bebidas e alimentos.

Entre outros objectivos da organização consta o asseguramento da cooperação e articulação das exportações nacionais, bem como a internacionalização dos grupos empresariais angolanos ou das grandes empresas nacionais.

Breves notas sobre exportações

O quadro de exportações angolanas para lá do petróleo e dos diamantes remonta ao passado colonial, em que o café dominava o negócio, tendo Angola atingido o quarto lugar no mundo.

Nessa época, o país era um grande exportador de outros produtos agrícolas, tais como sisal, algodão, milho, banana e ananás, etc. Também exportou produtos do mar: o peixe, marisco, farinha, óleo de peixe, sal e minérios: o quartzo, mármore, granito, ferro e gesso.

Por exemplo, em 1974, Angola exportou 250 mil toneladas de café comercial, mas a produção decaiu devido ao conflito armado, que chegou a afectar em maior proporção as zonas cafeícolas.

Facebook Comments