FONTENovo Jornal Online
As crianças decidiram entrar na água onde três delas acabaram por ser surpreendidas pelas ondas e foram arrastadas para o [email protected]

O Serviço de Investigação Criminal (SIC) deteve no final de semana cinco professores da Escola Comparticipada nº 361 “A Luz do Monte”, no bairro do Capalanga, no Município de Viana, por negligência na morte por afogamento de três crianças de 8, 9 e 10 anos de idade, na praia da Ilha de Luanda. Informou ao NJOnline o porta-voz da direcção provincial de Luanda do SIC.

Estão detidos, desde sábado, 29, cinco professores, todos da Escola Comparticipada `A Luz do Monte”, situada nas imediações da Universidade Jean Piaget, no bairro do Capalanga, em Viana, e estão a ser indiciados nos crimes de negligência na mortes, por afogamento, de três estudantes menores”, disse o superintendente Fernando de Carvalho, sem no entanto avançar mais pormenores.

Adão Jaime Camuco, director da referida escola, contou ao NJOnline que recebeu por escrito a solicitação dos professores para uma visita escolar ao Memorial Dr. António Agostinho Neto, em Luanda.

De acordo com o responsável da instituição “A Luz do Monte”, os professores efectuaram um desvio no programa que haviam delineado e resolveram ir para a praia com as crianças.

“A direcção da escola sabia que a excursão era somente para o Memorial e mais nada. Não tivemos nenhum conhecimento da parte dos nossos professores que depois de terminarem a visita ao Memorial Dr. António Agostinho Neto, haviam de ir à praia da Ilha de Luanda com as crianças do colégio”, explicou.

Adão Jaime Camuco diz ainda que os professores não tiveram o cuidado de controlar a ansiedade dos pequenos que pediram aos docentes para os conduzir à praia da Ilha de Luanda, enquanto esperavam pela chegada do transporte que haviam alugado.

“Eles saíram a pé do Memorial Agostinho Neto até à praia do Jango Veleiro, na Ilha de Luanda, onde comunicaram ao motorista do autocarro que estavam naquele local, mas isso só depois do acontecimento”, contou o director.

Costa Bundu, pai do pequeno Geraldo Bundu, de 10 anos, cujo corpo ainda não foi encontrado, explicou ao NJOnline que apenas autorizou os três filhos que estudam na referida escola a visitarem o Memorial Dr. Agostinho Neto e não a irem à praia da como foi o caso.

“Apenas os meus filhos disseram que tinham um evento na escola que seria na Memorial e eu autorizei e dei 1000 kwanzas a cada um deles para o transporte conforme foi estipulado pelos professores”, disse o progenitor, lamentando que, “dos três, apenas voltaram dois, porque o mais velho, de 10 anos, morreu afogado na presença dos irmãos que assistiram ao triste acontecimento”.

“Mas que professores irresponsáveis são estes que levam crianças na praia?”, Questiona-se a avô do menino de oito anos, cujo corpo foi encontrado na tarde de Domingo, no ponto final, na Ilha do Cabo.

Teresa Manuel conta que o seu neto apenas tenha autorização dos encarregados para ir com os colegas e os professores do colégio visitar o Memorial Dr. Agostinho Neto e não na praia.

“Não foi do conhecimento de nenhum encarregado que as crianças fossem à praia, o que nós sabíamos é que as crianças foram dispensadas para visitarem o Memorial. Queremos que se faça justiça, porque todos os pais e encarregados de educação apenas autorizaram visita ao Memorial e não à praia”, salientou.

Recorde-se que na sexta-feira, 28, um grupo de 39 estudantes e seis professores, proveniente do município de Viana, no bairro Capalanga, efectuou uma visita ao Memorial Dr. António Agostinho Neto, e, depois, no término da visita, deslocaram-se até à praia do Ilha de Luanda.

Já na Ilha, as crianças decidiram entrar na água onde três delas acabaram por ser surpreendidas pelas ondas e foram arrastadas para o mar. Um dos professores, na tentativa de salvar as crianças, acabou por ser também vítima de afogamento.

Faustino Menguês, porta-voz do Serviço Nacional de Protecção Civil e Bombeiros, explicou ao NJOnline que a previsão para aquele dia era de ondas de 1,7 metros de altura, o que já representa uma situação que exige cuidados redobrados, havendo ainda a ocorrência de ventos fortes.

Facebook Comments