FONTEJornal de Angola
AGT inspeciona cobrança do IPU na centralidade do Kilamba @DR

A ministra do Ordenamento do Território e Habitação, Ana Paula  de Carvalho, alertou, ontem em Luanda, os moradores das centralidades para o pagamento das rendas resolúveis, sob pena de serem despejados  das moradias.

A ministra, que falava à comunicação social durante a cerimónia que deu início ao processo de distribuição, este mês de Outubro, de moradias a trabalhadores da Função Pública e de empresas públicas e privadas, seleccionados no ano passado, esclareceu que  a entrega de casas é resultante das listas já existentes e em posse da Imogestin, a imobiliária faz a gestão dos projectos imobiliários do Estado.

A entrega de moradias vai ser feita no Zango 0, Zango 8 000 e no KM44. Ana Paula de Carvalho pediu aos novos moradores das centralidades que conservem bem o património e reconheceu que “a capacidade de oferta é muito menor em relação à procura”.

“Nós vamos retirar aqueles que não cumprirem com os pagamentos, para dar possibilidade a quem o possa fazer”, reiterou a ministra do Ordenamento do Território e Habitação, que esteve ontem no Zango 0 e Zango 8 000.

No Zango 8 000 vão ser entregues em Outubro apenas 2.600 moradias das 7.900 já existentes, a maioria das quais ainda sem condições de ser habitada. Ainda este ano, são concluídas as moradias do Zango 8 000, uma condição para a continuidade do processo de comercialização de habitações.

O Zango 0 tem disponíveis cerca de 2.500 casas, mas, nesta primeira fase, vão ser vendidas 336 habitações.

O Zango 8.000, localizado junto a Calumbo, foi concebido para albergar 48 mil habitantes, que vão estar distribuídos por 26 blocos residenciais, com 1.480 moradias unifamiliares, 1300 geminadas e 5220 apartamentos de dois e três pisos.

Facebook Comments