FONTEJornal de Angola
João Lourenço, presidente dea República de Angola © DR

Uma pesquisa da Consul teste-Axis Research, feita em Setembro deste ano, dá conta que 93% dos angolanos adultos avaliam positivamente o desempenho do Presidente da República, que completou há dias um ano de mandato.

A pesquisa, feita por ocasião do final do 1º ano de mandato do Presidente da República, permite concluir que em cada quinze angolanos adultos, catorze avaliam positivamente o desempenho do Presidente da República e apenas um avalia negativamente.

Por outras palavras, pode-se dizer que 65% dos habitantes adultos de Angola consideram que João Lourenço está até aqui a fazer um bom mandato, 29% atribuem avaliação mediana (ainda positiva) e 4% atribuem avaliação negativa.

O Presidente João Lourenço obtém melhor avaliação nas áreas urbanas das cidades, bem como nas províncias da Huíla, Cuando-Cubango, Lunda-Norte, Cunene e Cuanza-Sul. A pior avaliação é feita no Cuanza-Norte, Malanje, Cabinda e Uíge.

Praticamente três quartos dos inquiridos (74%) consideram que o Presidente João Lourenço vai cumprir as promessas que fez durante a campanha eleitoral, enquanto 7% estão convencidos que isso não acontecerá.

Os demais são pessoas sem opinião (6%) ou que acham que o Presidente não cumprirá nem deixará de cumprir tais promessas (13%).

A grande maioria dos inquiridos considera que, neste seu primeiro ano de mandato, o Presidente João Lourenço conseguiu já uma série de conquistas. A mais importante delas é estar a conseguir o apoio do povo para o seu projecto de governo, seguindo-se o combate à corrupção, o crescimento da sua liderança, o incremento da democracia e das liberdades individuais e a conquista de apoio externo.

No que diz respeito aos principais actos de governação, os inquiridos aplaudem fundamentalmente dois: o início do combate aos monopólios e a conquista do apoio externo, para os quais se considera que o Presidente tem despendido boa parte do seu tempo. Seguidamente, merecem maior aplauso dos cidadãos a exoneração de Conselhos de Administração de empresas públicas e o início da implementação do programa de recuperação económica. Do lado oposto, destacam-se pela negativa a subida generalizada de preços e os efeitos negativos da desvalorização da moeda.

Em cada dez inquiridos, seis aprovam a forma como o Presidente João Lourenço tem até aqui governado o país. Somente pouco menos de 6% dos inquiridos reprovam a forma como o PR vem governando. O grau de aprovação é maior nas províncias da Huíla, Cuando-Cubango, Luanda-Norte e Bengo. Em contrapartida, há menor aprovação nas províncias de Malanje e Cabinda.

Em cada dez inquiridos, sete consideram que o Presidente tem governado acima do esperado (72%), enquanto 20% consideram que está a governar de acordo com as expectativas e 3% estão convencidos que o Presidente não fez até hoje aquilo que esperavam.

Foi também medido o grau de confiança no Presidente João Lourenço, que é bastante positivo. Exactamente dois terços dos angolanos adultos confiam no seu Presidente, enquanto 9,1 por cento não confiam em João Lourenço.

É nas províncias da Lunda-Norte e Cuanza-Sul que mais se confia no Presidente João Lourenço. Seguem-se a Huíla, Bié, Bengo, Cunene, Huambo e Moxico. Ainda com bom grau de confiança temos as províncias do Uíge, Cuando Cubango, Zaire, Benguela e Lunda-Sul. A confiança é menor nas províncias de Malanje, Cuanza-Norte, Luanda, Namibe e Cabinda.

Facebook Comments