FONTEAngop
Angola vai introduzir pagamentos por telemóvel em 2019 © Viva Portal

O número de utilizadores da rede móvel em Angola passou de 13 mil em 2003 para 13 milhões em 2018 e os subscritores de internet, de 2.700 a cinco milhões, no mesmo período.

Os dados foram avançados ontem, em Viena, Áustria, pelo vice-presidente da República, Bornito de Sousa, ao discursar na abertura do Fórum de Alto Nível África – Europa, que se realiza sob o lema “Levando a Cooperação para Era Digital”.

Explicou que a economia digital no país é um espaço aberto ao empreenderorismo e às “startups”, internet banking, pagamentos electrónicos, ensino à distância, centros locais e municipais de empreendedorismo e negócios afins, num esforço de massificação e inclusão digital.  

O vice-presidente da República destacou o projecto Angola Cables, que está a ligar Angola ao mundo através de cabos submarinos, nomeadamente à Europa, Ásia e, brevemente, através dos cabos submarinos SACS e MONET, ligando África ao Brasil e aos Estados Unidos da América.

Soma-se a isso, a extensão de 25 mil quilómetros de cabos de fibra óptica ligando as 18 províncias de Angola.

Bornito de Sousa ressaltou que a governação electrónica está a interligar os serviços de justiça, finanças, administração e ordenamento do território, segurança social, educação, saúde, formação profissional e registo de cidadãos.

No caso de África, um mercado de mais de mil milhões de habitantes, Bornito de Sousa entende que esse esforço tem de ser feito em extensões territoriais que os mapas baseados na Projecção Mercator subestimam e reduzem significativamente.

Durante o seu discurso, Bornito de Sousa declarou que a transformação local das matérias-primas e de outros bens é um mecanismo que deve ser estimulado, por criar emprego nos países produtores e proporcionar distribuição da riqueza proporcionada pelos rendimentos nacionais.

“É uma responsabilidade nossa criar as condições para que África e a Europa sejam continentes caracterizados pela paz, boa governação, estabilidade política e social, desenvolvimento sustentável e condições de vida condigna para os seus cidadãos e habitantes”, finalizou.

Ainda na terça-feira, o vice-presidente da República manteve encontros com os primeiros-ministros das Repúblicas da Polónia e da Finlândia, nomeadamente Mateusz Morawiecki, e Juha Sipilâ, com os quais passou em revista a cooperação bilateral.

À margem do fórum o secretário de Estado das Telecomunicações, Mário de Oliveira, afirmou que o Executivo angolano trabalha para criar novas condições para elevar o crescimento no domínio da digitalização.

Informou que está a ser feita a adequação da Legislação, a revisão do Livro Branco, o projecto nacional de banda larga, que vai fazer com que administração pública esteja mais próxima dos cidadãos e fazer com que esses serviços cresçam no país.

Fez saber que os operadores angolanos estão a trabalhar com os operadores da região austral, para a interligação das redes de fibra óptica, cabos submarinos e do programa espacial nacional.

O Fórum de Alto Nível África-Europa é organizado pelo Governo da Áustria, país que exerce a presidência rotativa do Conselho da União Europeia. Enquadra-se nas recomendações da V Cimeira de Chefes de Estado e de Governo da União Africana e da União Europeia, realizada em Novembro de 2017, em Abidjan, na Côte d’Ivoire. 

 

Facebook Comments