FONTEAngop
Professores não admitidos no concurso público em Luanda chamados para preencherem vagas @DR

O Ministério da Educação (MED) prevê realizar, entre Junho/Julho, um novo concurso público para o ingresso de novos docentes no sistema nacional de ensino, anunciou, nesta segunda-feira, a directora dos recursos humanos da instituição, Laudmira de Sousa.

O MED conta, actualmente, com 206 mil e 624 professores, para garantir o processo de ensino e aprendizagem.

Dados disponibilizados apontam que os subsistemas de ensino Pré-escolar, Geral, Formação de Professores, Técnico Profissional e Educação de Adultos têm um défice de pelo menos 40 mil professores.

Em 2018, o Executivo disponibilizou 20 mil vagas, porém, apenas  18.650 candidatos aprovaram, tendo ficado 1. 492 lugares por preencher.

Para atender às necessidades do sector, o Executivo cabimentou, por via do Orçamento Geral do Estado (OGE2019), a verba de Akz 662.441.894.770,00 à educação.

No OGE 2018, ao sector da educação foi cabimentada a fatia de 559.585.075.476,00 kwanzas.

Segundo a directora dos recursos humanos do Ministério da Educação, de acordo com as normas orçamentais, o concurso público deve ser realizado no segundo trimestre de um ano e efectivado no primeiro semestre do ano seguinte.

Apesar de não avançar a quota, explicou que se acrescerá a cada província o número de vagas que ficaram por preencher em 2018.

Disse, por outro lado, que pelo menos 3 mil professores não foram ainda admitidos por *-insuficiência nas categorias por eles escolhidas, o que poderá  ser colmatado com concurso interno.

Anunciou, por outro lado, a extinção da carreira de professor auxiliar, sublinhando que, durante cinco anos, irão beneficiar de uma formação (equivalente ao ensino médio).

Quem superar, deverá subir de categoria, enquanto os outros serão enquadrados como funcionário normais.

Facebook Comments