FONTEAngop
Requisitos da nova carreira de enfermagem provoca descontentamento @DR

O Hospital Geral de Luanda retomou neste fim de semana, os ciclos de operações cirúrgicas a pacientes com cataratas, anunciou, neste sábado, na capital angolana, o director daquela unidade hospitalar, Carlos Zeca.

Em declarações à imprensa, no final de uma visita do Presidente da República, João Lourenço, àquele hospital, explicou que o processo vai decorrer até ao dia 23 deste mês e está prevista a realização de 400 cirurgias a cataratas.

Esclareceu, no entanto, que a prioridade será dada a pacientes que participaram do processo de triagem, em 2018, período em que foram feitas cerca de 200 cirurgias, das 719 consultas, com a cooperação de médicos espanhóis.

Esta será a quinta vez que médicos especialistas estrangeiros vêm à Angola com este   propósito, depois de já o terem feito em 2014, 2015 e 2018 (Luanda) e 2016 (Namibe).

A campanha conta  com apoios da Fundação Elena Barraquer, da Oshen Healthcare e do ABO Capital, instituições comprometidas com o desenvolvimento de serviços e infra-estruturas de cuidados de saúde nos países onde operam, em particular na capital angolana, onde detêm o Centro Médico Internacional (CMI).

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) revelam que mais de 50 por cento da população acima dos 65 anos tem cataratas. Esta patologia é ainda a causa de 48 por cento dos casos de cegueira no mundo.

Muitos países ainda não dispõem dos recursos médico-cirúrgicos necessários para a sua remoção.

Facebook Comments