FONTENovo Jornal
Professores não admitidos no concurso público em Luanda chamados para preencherem vagas @DR

A falta de professores na escola secundária dos Buengas, no município com o mesmo nome, que dista a 276 quilómetros da cidade do Uíge, pode condicionar o ano lectivo de mais de mil alunos que nunca tiveram aulas deste que arrancou o ano académico de 2019.

Esta informação foi avançada ao NJOnline por um grupo de estudantes daquela instituição que pediram o anonimato.

Os estudantes, que temem represálias, contaram que desde que o ano académico teve o seu início, a 31 de Janeiro, nunca tiveram aulas.

“Não temos tido aulas desde o arranque do ano lectivo, já reclamámos junto da direcção da escola e da administração municipal dos Buengas várias vezes. Prometem que vão resolver a situação, mas até agora não resolveram nada”, contaram os estudantes.

“Avizinham – se as provas do 1.º trimestre e nós não temos tido aulas por falta de professores, como será o nosso aproveitamento?”, questionaram-se.

“O nosso objectivo é terminar o ensino médio, ingressar no ensino superior e dar o nosso contributo para o desenvolvimento do País, mas parece que os nossos dirigentes não pensam assim”.

A escola Liceu dos Buengas tem 12 salas de aula e funciona nos três períodos, dista 276 quilómetro a norte da cidade do Uíge, e lecciona os cursos de ciências jurídicas económicas, física, ciências biológicas e ciências humanas.

Segundo os alunos, que reportaram os factos ao NJOnline, apenas um professor que ministra a disciplina de filosofia no período nocturno tem aparecido na instituição.

De acordo com os estudantes, as péssimas condições da via de acesso ao município dos Buengas faz com que muitos professores não aceitem trabalhar nesta zona.

A vida naquela localidade é difícil devido ao mau estado das vias de acesso, dizem os estudantes.

Por exemplo, para viajar da cidade do Uíge para o município dos Buengas, durante o período chuvoso, os munícipes pagam o táxi a 12 mil kwanzas, e no tempo Cacimbo a sete mil.

“É uma situação difícil para os habitantes e para as viaturas, que volta e meia apresentam problemas devido à areia e à lama”, reconhecem.

O NJOnline tentou contactar o director da escola Liceu dos Buengas, Pedro António Lutamina, para o devido esclarecimento, mas não obteve resposta.

De recordar que o governador provincial do Uíge, Pinda Simão, visitou o município dos Buengas em Julho do ano passado, onde se inteirou das principais dificuldades e reconheceu o mau estado da estrada, apontando a terraplanagem como a solução imediata, enquanto se espera pelo reinício das obras na estrada que parte do município do Sanza Pombo aos Buengas.

“O troço tem muitos pontos críticos e é urgente intervir, para que a via não fique interdita”, afirmou o governador na altura.

Na ocasião, Pinda Simão disse que as acções, nos domínios da saúde, educação e construção de estradas, vão ser equacionados no âmbito dos Programas de Investimento Público do ano 2019, e considerou ser prioritário a reabilitação da estrada entre a sede municipal do Buengas e a cidade do Uíge que se encontra completamente degradada.

O município dos Buengas possui uma população estimada em 58.353 habitantes, maioritariamente camponesa, segundo dados do censo 2014.

Facebook Comments

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here