FONTEAngop
Cerca de 17 empresas entre públicas e privadas estão disponíveis para recrutar e oferecer estágios profissionais @DR

A União Nacional dos Trabalhadores Angolanos – Confederação Sindical (UNTA-CS) aponta que desde 2014 Angola conta com 100 mil desempregados sem a protecção social do Estado, inclusive para os trabalhadores assegurados com períodos de garantias já vencidos.

Esse facto foi avançado na sexta-feira, à imprensa durante a abertura da V Reunião do Conselho Confederal que decorre no município de Viana, pelo secretário-geral desta organização, Manuel Viage.

Segundo Manuel Viagem, o desemprego desencadeia graves problemas sociais, fomenta a instabilidade social, enfraquece as instituições públicas e limita o pleno exercício das liberdades e direitos políticos dos cidadãos.

Fez saber, que o período de 2018 contínua a ser considerado como o ano em que ocorreu maior número de despedimentos e abrangeu o sector do comércio, transportes rodoviários, comunicação, construção civil, indústria transformadora e de bebidas, bem como na agricultura e pescas.

Para por cobro a esta situação a Unta tem procurado trabalhar com as pessoas empreendedoras para que possam continuar a implementar os  projectos empresariais.

O secretário-geral da Unta acrescentou  que têm reivindicado junto do Governo de  modo a  criar políticas públicas  de  protecção social aos cidadão que são afastados do serviço por razões que não sejam disciplinares.

 Esse facto foi avançado durante a abertura da V Reunião do Conselho Confederal que decorre no município de Viana.

 Durante  o encontro os associados vão debater assuntos relacionados com a Acta da IV Reunião do Conselho Confederal, Aprovações dos Relatórios da Comissão Executiva Nacional e Contas do Exercício Fiscal, Controlo e Disciplina, bem como os planos de actividades do conselho fiscal, controlo e disciplina referente ao ano de 2018.

Facebook Comments

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here